Sistema mesopotâmico de numeração antigo

26/05/2012 17:13

As primeiras civilizações surgiram na Mesopotâmia (3 500 a.C.), entre os rios Tigre e Eufrates.

A localização era propícia para a agricultura, pois, como fica entre dois rios, as terras eram muito férteis, provocando o aparecimento de tribos com moradias fixas. Praticando a agricultura, eles eram obrigados a permanecer por um período relativamente longo à espera da colheita. Estes povos já não viviam apenas da caça, pesca e frutos encontrados na natureza; eles cultivavam a terra, plantavam e colhiam para o seu sustento.Com a prática da agricultura, conseguiam uma produção acima do mínimo necessário para a sobrevivência.

Foram os Sumérios, um dos povos da Mesopotâmia, que inventaram a escrita. Eles escreviam numa placa de argila com a ajuda de bastonetes, deixando marcas de cunha, daí o nome escrita cuneiforme.

Os mesopotâmios já contavam muito com a colheita, mesmo não conseguindo uma boa caça, eles tinham como se alimentar.

E, para que tivessem sucesso na agricultura, eles tiveram que aprender a construir açudes e controlar as enchentes. Regular o comércio, determinar a área de um terreno ou construir grandes edifícios eram outros desafios para aqueles povos. Sentiram então a necessidade de desenvolver a Matemática.

Foram os babilônicos, outro povo da Mesopotâmia, que nos deixaram os seguintes conhecimentos:

o ano de 365 dias;

o ano dividido em 12 meses;

a semana de 7 dias;

o dia de 24 horas;

a hora de 60 minutos;

o minuto de 60 segundos;

a divisão do círculo em 360 partes;

o processo da multiplicação;

o horóscopo e os doze signos zodíacos;

a previsão dos eclipses.

Os agricultores observavam o Sol, que aquecia e iluminava a terra. Aprenderam que para cada época do ano era mais produtivo um determinado tipo de trabalho no campo; épocas mais quentes, mais frias, secas, chuvosas etc. Notaram que o ponto onde o Sol surgia no horizonte repetia-se a cada 365 dias, chamando esse período de ano.

Os pastores levavam as ovelhas para pastar durante a noite, para fugir do forte calor. Assim, observavam a Lua, noite após noite. Notaram que a cada 7 dias o "formato" da Lua mudava e que, a cada 28 dias, repetia a forma primitiva da Lua. Aos 7 dias que duravam cada "formato" da Lua, chamaram de semana e aos 28 dias que duravam os quatro diferentes "formatos" da Lua, mês.

O mês lunar era de 28 dias. Considerando-se 12 meses: 12 x 28 = 336 dias. Para fazer concordar o calendário solar com o lunar, resolveram aumentar alguns dias a cada mês fazendo com que somando-se os doze meses resulte em 365 dias.

Com o surgimento do comércio, sentiram a necessidade de números, representando quantidades. Os números também eram representados por figuras na forma de cunha.

Assim:

 



1

4
7


2

5
8



3

6
9

O símbolo ( na horizontal ) representava o dez. Assim, escreviam o dez, seguidos de símbolos que representavam as unidades.

 

10 20
11 30
12 40
13 50

O número 62 era representado como difere do número 3 pelo espaço deixado entre o primeiro símbolo , que representa o 60. e os símbolos representando o 2 .
Observe :

 

63 65
64 66
68

Como 70 = 60 + 10, representava-se

 

71 85
72 89
73 92
90 110
100  

O número 120 era representado ( 2 x 60 ) , facilmente confundido com o número 2.

E assim, existiam outros números representados pelos mesmos símbolos, diferenciando apenas com os espaços deixados entre eles.

O símbolo podia representar o número 1 ou o número 60 . Na época criava-se muita confusão, pois, o zero (o símbolo para representar o nada ainda não era conhecido).

O símbolo para representar o nada, só surgiu depois do desaparecimento da civilização mesopotâmia. Com o desaparecimento da civilização mesopotâmica, desapareceu também o sistema de numeração.

Fonte: www.rainhadapaz.g12.br



Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/mesopotamia/mesopotamia6.php#ixzz1w0afKe2p

Pesquisar no site